Utilização de SIG na complementação do mapa geológico da região do centro produtor de Candeias-Oliveira com base no levantamento aerogeofísico da CODEMIG: ênfase para a definição de alvos com valor or

Anais do XXII Congresso Brasileiro de Cartografia, Macaé, 2005. – Ano 2005

Autores desta publicação

  • Campello, M. S.
  • Freitas, C. R. – Christian Rezende Freitas - Aluno de Doutorado e pesquisador
  • Pizarro, A.
  • Henrique, G.
  • MOURA, Ana Clara M. – Prof. Ana Clara Mourão Moura - COORDENADORA
  • Palavras-chave: SIG, carste, espeleologia, arqueologia

Baixar uma cópia desta publicação

Documento no formato PDF
Formato do arquivo: Documento Adobe PDF
Tamanho do download: 399,76 KB

Resumo da publicação

A área de trabalho está inserida na porção sudoeste do Estado de Minas Gerais, na região denominada “Província” Carbonática e Espeleológica de Arcos-Paíns- Doresópolis. Na região afloram rochas da Formação Sete Lagoas do Grupo Bambuí, localmente representadas por uma seqüências de calcários calcíticos, dolomíticos margas e intercalações subordinadas de metapelitos. Rochas do Complexo Gnáisse-Migmatítico Campo Belo (de provável idade arqueana), limitam esta regiäo ao sul e ao leste, enquanto a oeste, ocorrem seqüências metassedimentares sobretudo quartzitos do Supergrupo Canastra, representados pelas rochas da Serra da Pimenta. Esta região apresenta inúmeras feições cársticas (cavernas, surgências/ressurgâncias, sumidouros, maciços paredões entre outros), elevado número de sítios arqueológicos cadastrados, além de extensas regiões de mata por sobre os calcários. As atividades relacionadas à exploração das rochas carbonáticas e ao seu beneficiamento como cimento ocorrem de forma paralela desde a década de 60. Hoje além das inúmeras grandes, pequenas e médias minerações, ocorrem ainda garimpos clandestinos, fato que contribuem para o agravamento da supressão e deterioração do patrimônio espeleológico e arqueológico. A construção de um modelo para o zoneamento da região é uma proposta inédita, sendo sua implementação o primeiro passo em direção da criação de uma área de Proteção Ambiental, a exemplo da APA Carste de Lagoa Santa, aonde mineração e preservação coexistem como exemplo do desenvolvimento sustentável. O uso do Sistema de Informações Geográficas (SIG) é um instrumento imprescindível para o cruzamento dos diversos seguimentos analisados entre eles: as Áreas de Preservação Permanente (APP), áreas de proteção das cavidades naturais mapeadas, dos sítios arqueológicos e regiões de mata. Técnicas de classificação e de segmentação de imagens Landsat 7 foram usadas para a quantificação das classes: mineração, área urbana e afloramentos com mata. Esse conjunto de dados resultou em uma série de mapas com representação de zonas de proteção com base na legislação vigente. Utilizando-se a análise de multicritério, pela técnica do Processo Analítico Hierárquico (AHP) do Spring, foram estabelecidos pesos e notas para as classes relacionadas. Como produto final tem-se um mapa preliminar com as zonas de maior relevância segundo avaliações sistemáticas para a arqueologia e a espeleologia, contribuindo para a criação da APA da Região do Cárste de Arcos-Pains-Doresópolis. Este zoneamento obtido a partir do uso do SIG deve ser aprimorado levando em conta o meio biótico, qualidade das águas, solos e do ar.

Abstract (english text)

The Speleological Province of Arcos Pains Doresópolis, is situated in the southwest of the State of Minas Gerais. Rock formation of local substrate is composed of calcareous rock sequences, margs and metapelits from the Sete Lagoas Formation of the Bambuí Group. Rocks of the Campo Belo Metamorfic-Complex (probable archean age) are found at the southern and western borders of the region, while at the east, meta-sedimentary sequences occur over all quartzites and conglomerates in the Canastra Supergroup represented by the rocks of Serra da Pimenta and Morro do Diamante. This region presents innumerable karstics features (caves, ponors, outlets, and others), large numbers of cadastral archaeological sites and among carbonate rocks. The activities related to the exploration of the carbonate rocks and to their use as cement have taken place in parallel since the ’60s. Today, in addition to innumerable quarries of all sizes, there are also illegal mines, which contribute to the deterioration and destruction of the speleologic and archaeological heritage. The construction of a model for the zoning of the region is an unknown proposition. The first step would be the creation of an Area of Ambient Protection (APA), as in the example of APA Carste de Lagoa Santa, where miningand preservation coexist as an example of sustainable development. Geographic Information Systems (GIS) are indispensable tools for cross-referencing the diverse layers of material to be analysed like: the Areas of Permanent Preservation (APP), protective zones around natural mapped-out caves and archaeological sites. Classification and segmentation techniques of Landsat 7 images have been used for the quantification of some classes: mining, urban areas and limestones outcrops. This data base resulted in a series of maps of protection zones occording to current law. Using multi-criterion analysis, (Spring 4.1 software), weights and notes were established for the related class. The final product was the creation of a preliminary version of a map showing the most important zones of archaeological and speleological relevance, which is helping to establish the creation of the APA of the Region of the Cárste de Arcos-Pains-Doresópolis.

Autores do laboratório

  • Prof. Ana Clara Mourão Moura
    Prof. Ana Clara Mourão Moura
    COORDENADORA
  • Christian Rezende Freitas
    Christian Rezende Freitas
    Aluno de Doutorado e pesquisador